gotas de chuva

chove. mas ela sai de casa esquecida do tempo. no comboio quase se deixa domar pela mente – três guarda-chuvas em casa e ela sem nenhum! manda o coração calar a mente – se não trouxe guarda-chuva, é porque não precisa dele e, se não preciso dele, é porque há algo de diferente para ser vivido.

saiu do comboio, colocou o capucho na cabeça e, de sorriso na cara, começou a descer a rua. não houve chuva mas chuviscos. e, no lugar de uma caminhada cinzenta para o trabalho, sentiu a cor e a vida das gotas de chuva a caírem-lhe no capucho. e lembrou-se de lembrar disto todos os dias face a cada “problema” com que se defrontar.

2 Comments

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: